Programação – Mostra de Teatro

Postado por ascom em 12 de agosto de 2016


:: DIA 16/08 – TEATRO MUNICIPAL SEVERINO CABRAL – 20h

ESPETÁCULO – ALDEOTAS
CIA TERTÚLIA DE ACONTECIMENTOS – SP

A trajetória de Levi e Elias, dois amigos de infância, que se reencontram em fragmentos de memórias na pequena cidade de Coti das Fuças.

Por sua força poética e memorialista, “Aldeotas” é um texto teatral que arranca o leitor contemporâneo do espaço e do tempo hostis da modernidade, e o transporta à recordação daquelas experiências de vida mais sublimes que estão apenas adormecidas dentro de nós.

“A história que a peça conta é a da volta ao imutável ponto de partida de alguém que teve a curiosidade e a coragem de querer conhecer o mundo que muda; e cada um dos quadros, ou episódios, foi escolhido por calar fundo na memória de quem partiu.

Dois amigos crescem juntos, um fica, outro vai. O que torna memorável o texto de Aldeotas” é a arte com que é sugerida a espontaneidade das lembranças, recriadas não só por ações e emoções mas também por um vocabulário volta e meia inusitado,em grande parte responsável pelo brilho onírico do todo.”
Barbara Heliodora
Prêmio Shell 2004
direção (cristianepaoli quito)

Prêmio Qualidade Brasil 2004
ator (gero camilo)

ESPETÁCULO – ALDEOTAS

FICHA TÉCNICA

Texto GERO CAMILO
DirecãoCRISTIANE PAOLI QUITO
Elenco GERO CAMILO e VICTOR MENDES
Preparação Corporal CRISTIANO KARNAS
Iluminação e Espaço Cênico MARISA BENTIVEGNA
Operação de luz JOÃO BLUMENSCHEIN

 

:: DIA 17/08 – PRAÇA DA BANDEIRA – 17h

ESPETÁCULO – BENDITO E LOUVADO UM CONTO CONTADO
COMPANHIA PÉ DE BAOBÁ – CAMPINA GRANDE – PB

O primeiro espetáculo da companhia é construindo com três contos do cancioneiro popular, o primeiro conto “A coca recoca” é um conto acumulativo que narra às aventuras e perdas de Joãozinho, o personagem principal da narrativa que transforma suas perdas em ganho. O segundo conto é a história mais longa do mundo, com adaptação de Rosana Pamplona, que conta e canta como um Rei mandão, que amava ouvir histórias e que teima que lhes tragam a história mais longa do mundo, aprende a gostar de pequenas histórias, depois de encontrar-se com um homenzinho cheio de sabedoria. O terceiro conto vem do cancioneiro popular bem conhecido do público, a menina e o surrão, que narra como Mariazinha se perde de sua mãe e vai parar dentro do surrão de homem muito estranho, e depois de um longo tempo, a menina consegue voltar para casa, salva pela sabedoria de sua mãe. Toda a narração é costurada por canções do cancioneiro popular, parlendas, adivinhações que convida o público ouvinte a se tornar parte narrador das histórias contadas. Contos com canções e versos de domínio público. Contados com a poesia cênica do teatro.

ESPETÁCULO – BENDITO E LOUVADO UM CONTO CONTADO

FICHA TÉCNICA

Concepção e narração: Cris Leandro
Foto/Video e Direção: Silvano Monteiro

 

:: DIA 18/08 – TEATRO MUNICIPAL SEVERINO CABRAL – 09:30h

ESPETÁCULO – OGROLETO
GRUPO PAVILHÃO DA MAGNÓLIA – FORTALEZA – CE

Um menino se percebe muito diferente das demais crianças e lidar com essa diferença, para ser aceito, parece não ser fácil. Nessa árdua tarefa da aceitação, ele conta com a ajuda da sua mãe. A peça da autora canadense Suzanne Lebeau, trata de temas muito presentes na infância, como: medos, dúvidas e diferenças.

ESPETÁCULO – OGROLETO

FICHA TÉCNICA

Texto: Suzanne Lebeau
Tradução: Jorge Bastos
Direção: Miguel Vellinho
Elenco: Nelson Albuquerque e Silvianne Lima
Contra-regra: Denise Costa
Músicos: Airton Bob Pessoa e Eliel Carvalho
Figurinos: Yuri Yamamoto
Iluminação: Wallace Rios
Cenografia: Carlos Alberto Nunes
Cenotecnia: Marcos Martins e Marcos Joel
Adereços: Joaquim Sotero
Fotos: Carol Veras
Produção: Jota Jr. Santos
Assistente de produção: Gabi Gomes
Realização: Grupo Pavilhão da Magnólia

 

:: DIA 18/08 – PRAÇA DA BANDEIRA – 9h

ESPETÁCULO – CIRCO DO PIRUETA
TRUPE DO PIRUETA – CAMPINA GRANDE – PB

RELEASE

A Trupe do Pirueta apresenta um show de variedades circense, que segue a linha do circo clássico, com números virtuosos, números cômicos músicas do cancioneiro popular, mímicas e palhaçaria, que trazem a ludicidade e a alegria ao picadeiro.

O principal objetivo desse espetáculo é transmitir ao público o encanto e a magia do universo circense, pois cada número foi preparado na intenção de transmitir uma mensagem de cunho educativo ou simplesmente como entretenimento.

ESPETÁCULO – CIRCO DO PIRUETA
FICHA TÉCNICA:
Direção: André Canuto
Assistente de direção: Vivianne Montenegro
Elenco: André Canuto
Beto Rocha
Elys Amanda
Jhonata Almeida
Kennedy Gomes
Vivianne Montenegro
Crianças:
André Montenegro
Pedro Canuto
Direção musical:André Canuto
Cenografia:Criação coletiva
Figurino: Jhonata Almeida; Kennedy Gomes e Vivianne Montenegro
Adereço: Criação coletiva

 

:: DIA 18/08 – TEATRO MUNICIPAL SEVERINO CABRAL – 20:00h

ESPETÁCULO – BALDIO
GRUPO PAVILHÃO DA MAGNÓLIA – FORTALEZA – CE

SINOPSE

Cinco atores. Quadros cênicos abordando histórias do próprio grupo. Um atravessamento de temas, como a morte, o estar-no-mundo, a possibilidade do encontro, que se costuram por meio de relatos, em uma junção de cena, audiovisual e literatura. A figura do cão, precisamente, do vira-latas, em sua dimensão de abandono, constituiu a dobra a partir da qual memória e representação questionaram seus limites e desenharam a moldura de “baldio”. O texto foi originado durante o próprio processo de criação com assinatura do dramaturgo paraibano AstierBasilio (Prêmio Funarte de Dramaturgia 2014).

Baldio

FICHA TÉCNICA
Direção: Héctor Briones
Dramaturgia: Astier Basílio
Assistência de direção e preparação corporal: Edivaldo Batista
Elenco: Denise Costa, Eliel Carvalho, Jota JR. Santos,Nelson Albuquerque e SilvianneLima
Trilha Sonora: Ayrton Pessoa (Bob)
Músicos: Airton Bob Pessoa e Eliel Carvalho
Figurinos: Li Mendes
Assistente de figurino: Denise Costa
Costureiras: Mari Lima e Arli Figueiredo
Iluminação: Wallace Rios
Concepção de cénario: Héctor Briones
Desenho de cenografia: Elaina Nascimento
Cenotecnia: Ricardo Barroso
Adereços: Joaquim Sotero
Direção audiovisual: Lenildo Gomes
Apoio técnico: Alessandra Eugênio
Design gráfico: Carol Veras
Fotos: Paula Yemanjá
Produção: Jota Jr. Santos e Silvianne Lima
Coordenação de produção: Nelson Albuquerque
Realização: Grupo Pavilhão da Magnólia
Classificação: 18 anos

 

:: DIA 20/08 – TEATRO MUNICIPAL SEVERINO CABRAL – 20:00h

ESPETÁCULO – ULTIMA ESTAÇÃO
GRUPO RENASCER E CIA DO ROSÁRIO – CAMPINA GRANDE – PB

SINOPSE
O espetáculo tem início com o personagem Tairon chegando a uma estação de trem a fim de pegar sua condução para chegar em casa. Casado, pai de dois filhos, com a esposa grávida do terceiro, ele faz sempre referências à sua família, demonstrando ser uma pessoa bastante apegada aos seus entes queridos.
Na estação, Tairon encontra Renan, um sujeito que não lhe dá muita atenção e que a todo o momento realiza trabalhos de limpeza no ambiente. Posteriormente, aparece Lanif, um homem ressentido que teve a família assassinada. O trem demora muito, neste meio tempo Lanif e Renan conversam coisas que para o recém-chegado parecem não ter muito sentido. Eles falam de suas lembranças, chegando a revivê-las, são irônicos com Tairon, que a cada minuto vai ficando mais aflito com demora do expresso.

ESPETÁCULO – ULTIMA ESTAÇÃO

FICHA TÉCNICA
Texto: Álvaro Fernandes
Direção/Cenário/Figurinos: Chico Oliveira
Preparação de elenco/sonoplastia: Regina Albuquerque
Iluminação (concepção): Napoleão Gutemberg
Maquiagem/Execução de luz: Renato Barros
Fotografias: Clarissa Santos e Mayara Silveira
Produção: Chico Oliveira
Elenco:
Júlio César Rolim (Tairon)
Claudivan Barbosa Edgley (Renan)
NapoleãoGutemberg (Lanif)
Gedeão Ferreira (Lucius)
IvanneideOuriques (Alan)

 

:: DIA 22/08 – PRAÇA DA BANDEIRA – 10h

ESPETÁCULO – O CASAMENTO DE TRUPIZUPE COM A FILHA DO REI
CORDEL EM CANTO – CAMPINA GRANDE – PB

SINOPSE

O espetáculo trata de uma sátira cordelesca, que envolve alguns ciclos temáticos da literatura de cordel, tratando de temas comuns do gênero como a esperteza, fantasia, heroísmo e humor. Escrita por Bráulio Tavares, escritor, compositor, poeta e cordeslista, a montagem pode ser feita no palco ou na rua, alterando apenas o cenário e a duração adaptada para cada espaço.

Com forte influência do teatro regional nordestino, a peça traz o humor inteligente, além da presença essencial de músicas com gêneros da cantoria de viola e do repente. Através de martelos, gemedeiras e sextilhas, a história vai sendo contada e a cultura popular do Nordeste sendo afirmada e repassada.
Trupizupe é um esperto viajante, que passeia pelos vilarejos a procura de novas aventuras. Enganando as pessoas com sua inteligência, simpatia e bom humor, o personagem principal acaba sempre com bons proveitos. Uma princesa acaba caindo no golpe e ele consegue ir embora preparado para a próxima aventura.

CORDEL EM CANTO – CAMPINA GRANDE - PB

FICHA TÉCNICA
Direção: Arly Arnaud
Assistente de direção: Lara Sales
Coreografia: Liu Santos
Figurino: Jeferson Souza
Música: André Canuto
Lara Sales
Atores: Arthur Andrade
Beto Rocha
Elys Amanda
Felipe Cavalcante
Katemari Rosa
Maria da Graça

MOSTRA PARALELA DE PERFORMANCES

: DIA 18/08 – PRAÇA DA BANDEIRA – 09:00h

: DIA 21/08 – VILA DO ARTESÃO – 16:00h

AS CUMADI
SUELLEN MARIA– CAMPINA GRANDE – PB

RELEASE

“Contar histórias sempre foi a arte de conta-la de novo, e ela se perde quando as histórias não são mais conservadas. Ela se perde porque ninguém mais fia ou tece enquanto ouve a história. Quanto mais o ouvinte se esquece de si mesmo, mais profundamente se grava o que nele é ouvido.” (Walter Benjamim, Mágia e técnica, arte e política)

AS CUMADISUELLEN MARIA
Atriz e contadora de história. Graduada em Filosofia pela UEPB. É formada em teatro pelo Curso de Formação de Atores do Teatro Municipal Severino Cabral e pelo curso de iniciação teatro pelo Núcleo da UEPB.
Atualmente é arte-educadora, pesquisadora em teatro infantil,infanto-juvenil, drama e improvisação.

:: DIA 20/08 – FEIRA CENTRAL DE CAMPINA GRANDE – 10:00h

D.WANDERLUZA DE ARQUELÂNDIA: HISTÓRIAS DE TRANCOSO, DO NASCIMENTO À MORTE
ANA CÉLIA DIAS– CAMPINA GRANDE – PB

RELEASE

D. Wanderluza de Arquelândia é um personagem da atriz Ana Célia, cuja criação surgiu na década de 90.
Muito conhecida durante os festejos juninos, onde recebe turistas e campinenses com suas histórias divertidas e informativas sobre a Rainha da Borborema.

D.WANDERLUZA DE ARQUELÂNDIA: HISTÓRIAS DE TRANCOSO, DO NASCIMENTO À MORTE

 

:: DIA 20/08 – HALL DO TEATRO MUNICIPAL SEVERINO CABRAL – 19:00h

EM BUSCA DE UM POEMA NEGROEM BUSCA DE UM POEMA NEGRO
RAILSON ALMEIDA– JOÃO PESSOA – PB

RELEASE
Inspirado na obra homônima de Augusto dos Anjos. Estamos dentro de uma busca hibrida, um ator que se confunde com a personagem em busca da cena, com a poesia do Augusto e com a participação direta do público como protagonistas. Estamos imersos dentro da escuridão ou na procura dela. Não se sabe o lugar, muito menos a realidade. Uma busca. Um jogo. Uma troca. Cada cena é única, nasce e morre em si. Uma procura de si, e do ser. Estamos todos conectados.

RAILSON ALMEIDA
Bacharel em Teatro pela UFPB. Intercâmbio com a Universidade de Coimbra em Portugal pelo projeto Fórmula Santander. Pesquisador e diretor teatral.

 

OFICINAS DE TEATRO

:: DIAS 16 E 17 NO TEATRO MUNICIPAL SEVERINO CABRAL ÁS 14:00h

OFICINA: “DUAS VIAS:
Do corpo ao texto do texto ao corpo ”

MINISTRANTES: Gero Camilo e Victor Mendes

Gero Camilo e Victor Mendes

Sinopse:
Nessa oficina, ministrada por Gero Camilo e Victor Mendes, serão trabalhados exercícios de corpo utilizados nas composições dos espetáculos: “Aldeotas” e “Caminham Nus Empoeirados” com o objetivo de estimular os corpos para o encontro com o texto, e na relação contrária, partindo do texto para estimular o corpo dentro da cena.

Público Alvo:
Estudantes de teatro e atores profissionais.

A partir de 14 anos.

 

:: DIAS 17 E 18 NO TEATRO MUNICIPAL SEVERINO CABRAL ÁS 08:00h

OFICINA “A ARTE DE CONTAR HISTÓRIAS E SUAS TÉCNICAS”
Ministrante: Cris Leandro

FOTO CRIS LEANDRO

Esta oficina entende a atividade de contar histórias como uma arte que se revela como um instrumento para o trabalho pedagógico. Para tratar desse assunto foi preciso observar alguns pontos importantes como, por exemplo, o ambiente, que é essencial para despertar na criança o gosto pela leitura, assim como a história a ser escolhida e a maneira como esta será transmitida ao ouvinte. Na interação da criança com a obra literária está a riqueza dos aspectos formativos nela apresentados de maneira fantástica, lúdica e simbólica. A intensificação dessa interação, através de procedimentos pedagógicos adequados, leva a criança a uma maior compreensão dotexto e a uma compreensão mais abrangente do contexto.

Vagas: 20.
Público alvo: Educadores, atores, bibliotecários, estudantes, interessados no tema.
Carga horária: 08h.

 

:: DIAS 17 E 18 NO TEATRO MUNICIPAL SEVERINO CABRAL ÁS 08:00h

Oficina de Figurino – Cores e Sensações
MINISTRANTE: Toninho Miranda

FOTO DE TONINHO MIRANDA

A Oficina de Figurino – Cores e Sensações, irá proporcionar um estudo detalhado das cores e suas sensações físicas, estéticas e psicológicas. As cores carregam consigo emoções que quando provocada por estímulos sensoriais causam no espectador certos sentimentos. Entender esses efeitos pode contribuir para que o profissional do figurino consiga, por exemplo, associar a personalidade da personagem a uma determinada cor ou harmonia cromática, conseguindo assim dar mais força a criação cênica.

VAGAS: 20
CARGA HORÁRIA: 12h, sendo 03 dias de oficina, 4h por dia.
VALOR: R$ 10,00